Em tempo: Feliz Dia do Homem! - Por Símia Zen.


Senhores,

Sei que estou atrasada nesta saudação, mas no dia estabelecido como o Dia do Homem eu estava num recolhimento necessário à minha condição biológica e por mais outros motivos de ordem pessoal me vi indisposta a comemorar este dia tão importante, inclusive para mim por ser uma oportunidade de homenagear os homens de valor moral, talento e coragem que de fato merecem toda reverência e carinhos neste dia e em todos os outros de suas vidas, e por extensão, homenagear também aos que ainda não alcançaram tão elevada categoria, mas por serem humanos com certeza são promessas de evolução em seus tempos de desenvolvimento pessoal.

Com certeza deveríamos todos, homens e mulheres juntos comemorarmos essa data com tanta alegria e ações afirmativas como se comemoram as efemérides dedicadas as homenagens afetivas e por mérito, e todos se confraternizariam como é o certo e imprescindível nestes tempos bicudos, porque o Dia do Homem também é importante para as suas mães, filhas, irmãs, esposas, amigas, namoradas e colegas de trabalho e estudo, sócias e parceiras nas empreitadas na dinâmica mundo e, suas eternas e esquecidas na memoria de infância, “pofêssolas” e babás que com certeza lhes deram muitos “nãos” e pararicos, e de certa forma, também compõem a vasta e profunda rede de amor feminino em suas vidas. Já que os laços afetivos que unem homens a mulheres e mulheres a homens são de múltiplas naturezas e inspiram a união e não a desagregação. Nestes laços inspirados no amor sexual ou não, é que nós mulheres nos regozijamos pela existência do homem e desejamos com coração o seu bem, sua Boa Sorte na vida material e espiritual, seu avanço à felicidade em todos os sentidos. Mas claro que nem todas as mulheres sentem o bem do amor ao homem, infelizmente também há as que não amam nem cuidam dos homens e até por mais infelicidade, sobretudo para elas, até os ameaçam e ofendem em relações conturbadas de competições, mesquinharias mercenárias e hipocrisias de desamor. Mas estas pobres misândricas de coração de isopor não contam nesta carta em intenção ao Dia do Homem.

Senhores, o Dia do Homem me lembra meu pai. Me lembra as musicas que ele tocava ritmando com os pés para eu dançar, os experimentos culinários que eu me arvorava em fazer para ver seu sorriso diante do prato branco em que eu lhe servia o meu esforço, como era bom vê-lo faminto a noitinha depois de dia inteiro de labuta sentando-se com correta posição espinhal e no seu correto lugar a cabeceira da mesa, ansioso pelo prato surpresa que em poucos minutos ficava vazio por sua boca feliz, e satisfeito explodia num arroto constrangedor para ele e muito divertido e gratificante para mim. Que lembrança boa tenho de seus palavrões que ecoavam pela casa nas tardes de domingo... Aprendi todos enquanto reenchia com louras geladas a sua caneca com o escudo do seu time querido. Seus urros que cortavam o ar na saleta e as gargalhadas esbanjadoras de dentes ou as broncas se eu desse um "piu" na hora do pênalti. Tanta alegria e mau humor, tudo dependia do gol, falador ou mudo tudo dependia de futebol e também do meu boletim. Viva o time do meu pai! Mas eu nunca entendi nada de futebol, o bom do jogo era o meu pai, era estar perto dele torcendo para ele dar seu grito de gol todo alegre, era como se nessa alegria viesse seu merecido descanso por tanto suor despendido no trabalho duro e altruísta do dia a dia, donde vinha também o meu sustento e bem estar futuro, o que serei eternamente grata, aí de mim se não fosse meu pai...

Meu pai era um patriarca machão sim e, como tal, não era um homem misógino, porque patriarcas machões antes de tudo amam sua família e são protetores das mulheres de sua família. Não há divida de meu pai machão para comigo, só gratidão de minha parte para com ele. Eu sou uma mulher e uma testemunha que não é a postura patriarcal e de macho com orgulho de ser macho que faz de um homem um odiador de mulheres e sim fatores ligados a fraqueza de caráter, mas infelizmente são estes pobres coitados covardes que traem sua natureza boa e altiva de macho, que se aproveitaram e se aproveitam das circunstancias para praticar velhacarias e agressões gratuitas as mulheres que estavam e estejam em situação de vulnerabilidade a covardia deles, por isso é injusto o mal trato, a desconfiança, a usurpação de seus direitos de cidadãos e a falta de respeito aos homens em plano geral com a nefasta argumentação de que são ameaça predatória por serem machões, esse tipo de argumento não tem compromisso com a verdade e muitas vezes é sordidamente comprometido com interesses escusos de mulheres ignorantes e/ou má intencionadas.

Assim como a natureza feminina das mulheres a natureza masculina dos homens deve ser não só respeitada como também preservada na criação das crianças, no convívio social, nas relações afetivas sexuais e em todas as outras formas de convívio e relações entre homens e mulheres, a guerra dos sexos é uma imbecilidade para fracos e fracas ante a natureza masculina e feminina. Na verdade os misóginos, odiadores de mulheres, são covardes por que são débeis em natureza e estes jamais poderiam ser machões patriarcas, pois isso demanda virtudes de macho de verdade, daí não podem ver nem sentir a importância imprescindível da mulher em suas vidas e na sociedade e num rancor irracional por nossa existência praticam sua covardia. E as misândricas, odiadoras de homens, são débeis de natureza e por isso não valorizam nem podem realizar as vocações de fêmea, nem participar em paz da vida do homem, nem na sociedade, estas jamais poderiam ver e sentir o grande bem que é o homem de valor em suas vidas e na liderança na sociedade. Por isso os homens não devem se deixar afetar pelas patologias da misoginia e misândria, faces da mesma moeda, e se reprimir em sua forma de ser natural de machos, pois o homem ser homem e sentir orgulho disso não tem nada a de ruim nem para si mesmos nem para mulheres. Muito pelo contrario... Ai de nós mulheres e de toda a evolução da vida humana se não fosse as virtudes dos homens e a valorização da masculinidade sadia.

Senhores, eu, uma mulher filha grata de seu pai machão os saúdo com carinho, admiração e confiança.

Felizes dias para todos os homens de bem do mundo!

Cordialmente,

Símia Zen.


Posted 17th July 2011 by Abdall
Labels: Masculinidade Simia Zen

Fonte: Carta aos Homens - Texto originalmente publicado no site Reflexões Masculinas - Revista Online sobre o Homem e a Masculinidade - http://reflexoes-masculinas.blogspot.com.br/2011/07/em-tempo-feliz-dia-do-homem.html

==========================================SZ.



4 comentários:

Símia Zen

Obrigada, Morumgaba. Feliz Dia do Homem para vc e seus familiares!

Contrapondo Idéias

"Assim como a natureza feminina das mulheres a natureza masculina dos homens deve ser não só respeitada como também preservada na criação das crianças, no convívio social, nas relações afetivas sexuais e em todas as outras formas de convívio e relações entre homens e mulheres, a guerra dos sexos é uma imbecilidade para fracos e fracas ante a natureza masculina e feminina."

Este trecho deveria sempre marcar a mente de todos os homens e mulheres. Muita boa reflexão. Sábias palavras. Vejo que ainda há mulheres coerentes, ainda se salvam algumas. Tenho certeza que estas poucas mulheres um dia farão a diferença. Servirão de exemplo com sua resistência.

Parabéns pelo trabalho

Símia Zen

Obrigada, Contrapondo Idéias. Conte conosco para contrapor ideias que sejam danosas a natureza e a Vida

Postar um comentário

Retornar ao topo