Entrevista com Sadao Oshido: Uma candidatura política real no masculinismo


Fraternas,

Dando continuidade as “Entrevistas com os Homens”, cujos temas são relacionados a vida masculina na voz masculina e, por efeito direto, relacionados a vida feminina também, segue a entrevista concedida por Paulo Sadao Oshido, 29 anos, casado, pai de um menino, nascido e residente em Morungaba SP, autor do extinto blog Guerreiros da Real, candidato a vereador em Morumgaba/SP, nº11.100, pelo Partido Progressista/PP .e, que nesta entrevista compartilha conosco suas ideias, informações e propósitos relacionados as questões masculinas e a sua candidatura política, o que acredito ser leitura interessante à todas as mulheres que se preocupam com seus destinos e dos homens conviveres e afetos, tanto no plano individual como no coletivo, ante aos problemas brasileiros.

Espero que gostem da entrevista e que também lhes seja útil no entendimento as questões da cidadania política masculina atual.


O Sadao Oshido:



SZ: Quais são os espaços virtuais em que é autor ou participa?
Sadao Oshido: Já participei de vários, na minha adolescência tive um blog muito conhecido, mas hoje não existe mais, também fui autor do blog Guerreiros da Real.


SZ: Qual é a sua formação acadêmica?
Sadao Oshido: Sou terapeuta Holístico, acumpunturista e massoterapeuta, e estou terminando o ensino superior em Administração.


SZ: Como foi sua educação familiar e religiosa?
Sadao Oshido: Foi com a base católica, mas meus pais depois de um tempo se converteram ao espiritismo, já eu tenho simpatia por todas as religiões cristãs, mas me simpatizo mais com os evangélicos e com o espiritismo.


SZ: Quais são suas posições políticas-filosóficas?
Sadao Oshido: Minha posição de politica já foi de centro hoje é de Direita, e é ela que faço de tudo pra fortalecer, o Brasil tem uma direita muito forte, mas que está esmagada pelo governo e pela mídia esquerdista, que tentam nos impor suas barbaridades, como defender bandido, como o aborto, e o injusto sistema de cotas, acredito na igualdade de oportunidades para todos e na o na igualdade de pobreza como pregam os Comunistas.


SZ: Como se define? 
Sadao Oshido: Defino-me como um homem honrado e pai de família com valores tradicionais, que acredita em Deus na Familiar e na caridade, alguém que quer fazer a diferença e deixar o mundo melhor do que encontrei, pelo menos um pouco, como tenho filho, não quero que ele cresça achando que ser bandido é bom, que ser homossexual é bom, que usar drogas é bom, sei q estou quase sozinho nesta empreitada, mas é o que eu acredito e é pra isto que eu vou lutar.




Sua participação nas reflexões sobre questões masculinas:



SZ:  Quando iniciou e como está sendo sua trajetória de atuação nas questões masculinas no campo virtual?
Sadao Oshido: Na verdade sempre fui masculinista, sempre questionei coisas desde criança quando recebia instruções de que mulher pode bater em homem e homem não pode revidar, e sempre via meus amiguinhos chorando, que não via mais os pais porque na separação ficaram com as mães ou achava injusto que o homem tivesse q se humilhar sempre sobrando o pior para eles enquanto as mulheres sempre as melhores coisas.
Foi quando uma vez em uma comunidade do Orkut, vi que mais e mais pessoas postavam aquilo que eu sempre acreditava mais não podia me manifestar, pois desde criança cresci ouvindo que aquilo era o certo e ponto, foi então que acabai por meio destas pessoas conhecendo os blogs masculinistas.


SZ: O que o motivou a atuar nas questões masculinas no campo virtual?
Sadao Oshido: Comecei porque aí vi minha oportunidade de mostrar tudo que penso, primeiro claro foi por causa dos relacionamentos, mas com o tempo fui me engajando a causas masculinistas, cada vez que via alguém que saia do sofrimento, alguém que ao invés de se dedicar em ser o conquistador barato se dedicava a si mesmo, cada pessoa que saia da depressão era e é uma vitória para mim e vi que a Realidade, quando descoberta pode salvar vidas.


SZ: Quais são seus referenciais teóricos sobre as questões masculinas no campo amoroso, cidadania e na vida em geral?
Sadao Oshido: Nessaham Alita e Doutrinador no campo amoroso, cidadania e vida em geral arte da guerra, Maquiavel, James Hunter, também leio muitas biografias, Bíblia Sagrada, admiro o ministro Joaquim Barbosa, admirava o Politico Enéas, Nelson Piquet, Jon Bon Jovi da banda Bon Jovi, Roberto Justus.


SZ: Você reflete e atua em relação às questões masculinas além do campo virtual?
Sadao Oshido: Sim, tanto é que entrei na politica para um dia representar as causas masculinistas e de direita no congresso nacional.


SZ: Você tem filhos e qual é o seu estado civil?
Sadao Oshido: Possuo um filho, de quatro anos, um menino, e ele junto com minha esposa significa a maior parte da minha vida, família é tudo, sou casado, me casei porque encontrei a pessoa que julgo ser a certa para mim, uma mulher honesta e honrada.




Suas ideias e posicionamentos numa via política real para o masculinismo:



SZ: Poderia nos esclarecer um pouco mais sobre o porquê, quando e como entrou na politica?
Sadao Oshido: Bom Politica sempre foi minha paixão, até quando era criança sempre que me perguntava o que eu queria ser quando crescesse eu já dizia presidente da república.  De presente de aniversário uma vez pedi para passar um dia com o prefeito da cidade rs, depois fui sempre procurando aprender sobre o que é a politica e vi que é ela que praticamente determina a forma como vivemos, se vamos ter médicos, se vamos ter estradas, se teremos saúde, educação, tudo engloba a politica, como já disse me admirava muito o  Enéas Carneiro do extinto PRONA, mas infelizmente ele morreu e o partido morreu, então achei melhor me Filiar ao PP do grande Jair Bolsonaro, na verdade não iria me candidatar nestas eleições, mais vi que meu município não poderia aguentar mais 4 anos de sofrimento, e pretendo em breve poder ter voz ativa para acabar com esta discriminação masculina, contra esta política que tanto prejudica nossas crianças, contra este apoio a pedofilia, que o governo federal anda fazendo, pretendo fazer do Brasil um país mais Justo e igual para Todos.


SZ: O que pensa sobre o aborto e se for eleito qual será seu posicionamento quanto a proposta para descriminalização do aborto no Brasil?
Sadao Oshido: Aborto é algo que abomino, acho que a lei está boa como está. Em relação a isso, feministas dizem que lutar pelo aborto é lutar pelo direito do seu corpo, mas e o corpo do bebe? Quem luta por ele, um ser indefeso que não tem como se defender?  E se esta lei for aprovada piorará ainda a saúde pública no Brasil, que ao invés de cuidar de quem precisa cuidará de mulheres de caráter duvidoso e barreiras sem limites.


SZ: Qual é sua análise sobre a violência doméstica, o estupro e a Lei Maria Da Penha?
Sadao Oshido: Violência é algo que também abomino, acredito na igualdade verdadeira entre homens e mulheres, não em apenas um gênero ter o direto de bater e outro de apanhar no caso da Lei Maria da Penha, para mim a lei também poderia ser estendida a homens e idosos, porque o que tem de casos de idosos que apanham de filhas, filhos, enfermeiras, não é brincadeira, homens são os que mais morrem, e não se vê quase nada em relação a isso, já mulheres são apenas 30% dos casos de violência e fazem tudo isso, não acho errado, mas acredito que se é pra combater a violência, vamos combater a violência também com as crianças, idosos e homens, todos tem o direito da integridade física e psicológica. Estupro é algo abominável deveria ter pena de reclusão de no mínimo 50 anos que equivaleria a uma prisão perpétua.


SZ: Como vê a vida masculina na atualidade e que relação tem com a qualidade de vida feminina?
Sadao Oshido: Muito difícil, sem emprego, sem dignidade, sem moral, é isto que a mídia prega para a vida masculina, quanto para as mulheres até a libertinagem é incentivada. Ontem mesmo vi uma matéria falando que tomara que no futuro todas as porteiras sejam mulheres, fiquei indignado. “Emprego para todos”, este é o meu lema, mas se deixarmos, logo o homem servirá apenas para trabalhos braçais. Acredito na capacidade de ambos tanto é que admiro Margaret Thatcher, Marina Silva, mas agora querer impor que mulheres façam as coisas tomando os lugares dos homens apenas por serem mulheres é algo que abomino, já basta hoje em dia um currículo idêntico e capacidades idênticas, pra uma vaga de emprego um homem mediano e uma mulher bonita, pra quem você acha que fica a vaga? Se o recrutador for homem ele escolherá a mulher para depois poder ter encontros casuais com ela, se for uma mulher recrutando, ela escolherá a mulher apenas pra defender o sexo dela, está cada vez mais difícil.


SZ: Quais são suas prioridades em relação às causas masculinas e se eleito como pretende atuar em prol das questões priorizadas?
Sadao Oshiro: Vou lutar primeiro pela saúde do homem, depois vou lutar contra kit gay, etc., também quero e acredito em salários iguais para homens e mulheres e como conseguir isso? Simples, aposentadoria de 65 anos para AMBOS e licença maternidade e paternidade para ambos de quatro meses, um revezando com o outro, assim ambos gastaram a mesma coisa com previdência e poderemos ter salários iguais, o que não é justo um trabalhar 5 anos a mais e morrer 10 anos mais cedo como acontece hoje em dia com os homens, depois vou lutar contra a criminalização masculina absurda que anda ocorrendo na mídia.


SZ: Se for eleito qual será seu posicionamento ante as questões pertinentes a qualidade de vida feminina, sobretudo das mulheres desventuradas econômica e esteticamente em situação de risco à maternidade solitária ou expostas a pressões dos grupos pro aborto e/ou expostas a violência e exploração sexual?
Sadao Oshido: Caso eleito em minha cidade, como é uma cidade pequena o ritmo de vida é outro, aqui lutamos pela saúde, moradia, emprego, educação,  enfim necessidades básicas, que ainda não estão sanadas por completo, por aqui , não existe grupo pró aborto exploração sexual, estas coisas, aqui mulheres assim são chamadas como antigamente, de vagabundas e tal, ainda bem! Mas irei incentivar campanhas a favor do sexo seguro, irei apoiar religiões que pregam o casamento e a família.


SZ: Como vê o masculinismo estrangeiro e a proposta de greve de casamento “ Marriage Strike”?
Sadao Oshido: Acompanho principalmente o americano e tiro o chapéu para eles, não conheço profundamente todas as ideias deles por isso não posso falar que os apoio 100%, mas admiro porque lá é um movimento organizado, com lobby político comparado ao do Brasil, nem gatinhando posso dizer que estamos, somos ainda embriões lutando pra nascer e com as feministas e manginas* querendo nos abortar rs. Concordo com o “Marriage Strike”, casar por casar não vale a pena,  se se casar se tornou uma desvantagem porque casar? Apenas me casei porque encontrei a mulher certa, caso não encontrasse jamais me casaria apenas para ter uma família, que seria rompida dois anos depois no máximo e eu destruído financeiramente, psicologicamente e moralmente, jamais!


SZ: De acordo com seu entendimento e experiência nos espaços masculinos, existe diferenças de posicionamentos de direita e de esquerda nas reflexões e debates masculinistas que vem se formando no campo virtual e/ou real?
Sadao Oshido: Sim existe, mas eles são mais no mundo virtual do que no real no meu ver, direita e esquerda estão cada vez mais se polarizando e isso é muito bom.


SZ: Quais são suas propostas para o masculinismo na politica, em que o masculinismo poderia contribuir para o bem na vida dos eleitores e eleitoras em geral no cenário político atual?
Sadao Oshido: Como afirmei em resposta anterior, salários iguais para homens e mulheres e como conseguir isso? Simples, aposentadoria de 65 anos para AMBOS e licença maternidade e paternidade para ambos de quatro meses um revezando com o outro, assim ambos gastaram a mesma coisa com previdência e poderemos ter salários iguais, o que não é justo um trabalhar cinco anos a mais e morrer 10 anos mais cedo como acontece hoje em dia com os homens, depois vou lutar contra a criminalização masculina absurda que anda ocorrendo na mídia.
Revisão da Lei Maria da Penha, revisão da jurisprudência que sempre tende a deixar os filhos com as mães em casos de separação, revisão na lei de pensão alimentícia, que a mulher teria que comprovar os gastos com a criança, acabar com pensão alimentícia para casos de casados sem filhos e em casos de união estável, criminalizar atos de vandalismos contra figuras religiosas, pra mim isto merece pena máxima.





Conselhos e orientações aos jovens e palavras às mulheres:



SZ: Muito obrigada Sadao Oshiro por sua boa vontade em compartilhar nesta entrevista suas ideias, análises e seus planos positivos para o bem dos homens e das mulheres que acreditam na equanimidade de direitos entre os sexos opostos e da Vida humana em geral. Saiba que este simplório espaço virtual sempre estará a sua disposição em seu trabalho no benefício dos homens e mulheres do Brasil.
E para finalizar, quais seriam seus conselhos e orientações para os jovens e adolescentes brasileiros, e suas palavras às mulheres que por ventura lerem esta entrevista?

Sadao Oshido: Não tenho muito que aconselhar, pois ainda estou em processo de aprendizado, o que pode ser bom pra mim pode não ser bom pra você, e não me considero sábio o suficiente para aconselhar alguém, mas o que tenho a dizer é sigam em frente,  siga seus princípios e não o que a mídia impõe,  o que é certo é certo e sempre foi assim e sempre será, tenha honra e fé em Deus que ele te recompensará. E as mulheres:  Vocês são maravilhosas, não se deixem corromper pelo feminismo e pela vida vazia,  sejam vocês mesmas. Vocês têm uma sabedoria e um Dom incrível, admiro vocês.
Obrigado pela entrevista, eu me sinto honrado com ela e ao participar deste blog tão cheio de conteúdo bom!


Paulo Sadao Oshido.
 


===

* Termo criado nos espaços virtuais masculinos que designa os homens que são subservientes às mulheres de caráter duvidoso e ao ideal feminista em geral.

============================================================Símia Zen.

2 comentários:

Morungaba

muito obreigado pela oportunidade

Postar um comentário

Retornar ao topo