Não ao aborto - por Símia Zen.

Senhores,

Venho contribuir com blog em repúdio aos assassinatos covardes de vidas humanas ainda quando estão indefesas em seu desenvolvimento dentro dos corpos femininos e alertar sobre o iminente risco, que todos os cidadãos de bem estão expostos, se forem implantadas políticas de apoio ao aborto em nossa terra natal, pois isso será realizado com nossas contribuições (impostas), ou seja: estaremos financiando com o fruto de nosso suor esta abominação mesmo que sejamos contra ao aborto[1].

Neste momento de eleições presidenciais, muito vem se falando sobre uma possibilidade de legalização irrestrita do aborto. Os candidatos negaram suas “simpatias” a isso, claro que sim, porque perderiam os votos da parte da população lúcida e não querem perder tantos votos, no entanto, foi durante o governo do grupo político de um dos candidatos que foi legalizado o aborto em casos de estupro, má formação do feto e risco de morte para a mãe. Na outra candidatura, hoje eleita, a coisa é também muito incerta, porque numa hora a fala é a favor do aborto, noutra é contra, mas com um discurso bastante dúbio, com argumentações citando algo como “saúde pública”, dar assistência pública para o bem estar da multidão de aborteiras que se ferram por falta de segurança e infraestrutura para assassinarem seus filhos, tudo muito incoerente[2]. O que leva a concluir que há perigo neste papo surreal do aborto vir a receber incentivos de forma dissimulada, custeados pelos cofres públicos. Temos que ficar muito atentos, pois a coisa não está lá muito firme nesta questão e, como sabemos muito bem, políticas nefastas de alta corrupção são criadas e executadas de forma mascarada de democracia, de direitos humanos, politicamente corretas, e outros pretextos para saquear nosso dinheiro, mas que na verdade são exatamente o inverso disso, só beneficiando os inúmeros interesses que vampirizam nosso país, como é o caso de políticas de apoio ao aborto se forem implementadas.

Se não ficarmos atentos, a corja podre que ganha dinheiro com o aborto hoje, ainda na ilegalidade, será legal e ganhará ainda muito mais espaço e lucro... Só que não mais precisará pagar propinas aos fiscais corruptos que a mantem incógnita. Essas quadrilhas asquerosas[3] serão pagas pelo SUS. Temos que ser firmes dentro de nossas possibilidades, em nossos espaços de convívio cotidiano e demais vias de poder, por todo o mandato desta edição de presidência, pois infelizmente não faltarão grupos nefastos de abortistas pressionando o governo para legalizarem regalias aos praticantes de aborto. Creio que os homens e mulheres com lucidez terão pela frente que fazer o contraponto nesta história para que os grupos abortistas não venham a captar novos apoios a essa ideia podre.

Senhores, sei que não seria necessário argumentar contra o aborto com vocês, posto que estão com plena saúde mental e discernimento moral, mas como este blog é aberto a leitura geral, e que muitos adolescentes são vitimados por ideias pró aborto, divulgadas até em novelas, assimilando-as sem filtro, e com isso ficando em situação de risco de vir praticar isso... Portanto, sinto que há necessidade de fazer nesta carta algumas considerações sobre este horror aos que ainda estão desavisados, e é apenas por conta disso que a seguir discorro sobre o aborto no intuito de esclarecer aos rapazinhos sobre esta barbárie.

Rapazes, o aborto é matar um zigoto, embrião ou feto, dentro do útero da mulher, que deveria ser sua cuidadora, mas ao invés do útero ser o seu ninho de proteção passa a ser seu cárcere, onde será executado sem nenhuma chance de defesa, condenado a morte sem ter feito absolutamente nada e por sua própria mãe. Mulheres podem decidir sobre SUAS vidas, mas o feto NÃO é sua vida, é vida do feto. Portanto, nem a mulher, nem o homem podem deliberar se essa vida vai continuar a se desenvolver até a entrada no mundo ou se vai ser abortada.

Hoje ainda reina a ignorância de que, no inicio da gravidez, pode abortar com a argumentação de que essa vida ainda não há a forma humana, sendo só um pequeno conjunto de células dentro do útero e que então, a célula zigoto não é nada e pode ser descartada, mas e ainda que sejam algumas células apenas... No momento em que o óvulo é fecundado, neste exato momento, a vida foi acionada e se ninguém matar esse zigoto ele vai se desenvolver a embrião e depois a feto e vai nascer para o mundo como aconteceu com todos nós viventes. Só que não querem reconhecer que esse conjunto de células é o conjunto de células iniciais do ser humano, do próprio filho. Todos nós começamos nossas vidas com esse único pequeno inicio, todos nós, inclusive os abortistas[4]. Ademais também abortam embriões e até fetos já formados com terminais nervosos inclusive.

Os métodos de aborto são incrivelmente cruéis. Os mais usuais são por envenenamento através de substancias muito semelhante aos inseticidas que agem dentro do organismo para matar o feto do corpo de sua mãe, outro método é o da sucção, que nada mais é que destruir e sugar o feto com um troço aspirador, e há talvez o mais terrível que é a curetagem, aonde os carniceiros vão arrancando aos pedaços o feto do útero com instrumentos que se assemelham a colheres.

Fala-se muito em justificativas para o aborto, mas não há nenhuma. Dizer que um feto com má formação deve ser eliminado é dizer que só podem nascer pessoas perfeitas, é proibir a vida aos deficientes e isso é um absurdo de atraso de mentalidade, pois vida É vida. Será que criar mais recursos para melhorar a qualidade de vida dos deficientes não seria muito mais humano que exterminá-los antes mesmo de nascerem?

Dizer que o aborto é valido em casos de risco de morte à mãe se deve ponderar, mas não só por especulações precipitadas de médicos levianos. Hoje com os inúmeros recursos da medicina que poderiam ser investido em desenvolvimento de mais recursos, poderiam reduzir bastante esses diagnósticos. Se for de risco verdadeiro, claro que isso seria um motivo para preocupações e redobramento de cuidados, e se não há nem uma chance de sobrevivência para a mãe, sacrificar o feto seria poupar-lhe a vida. Mas é interessante citar que quando há incompatibilidade entre o feto e mãe, muitas vezes o própria natureza regida por insondável mistério provoca naturalmente o aborto. Outra que se poderiam fazer programas de prevenção, pois se as mulheres estivessem menos contaminadas com DSTs e limpas de drogas e outras substâncias maléficas ao organismo gerador de vida, que é o corpo feminino, não haveria tantos casos de fetos com má formação em decorrência das sequelas deixadas por estes males em sua capacidade reprodutora.

Dizer que o aborto é válido em caso de estupro, não há dúvida alguma: Não é necessário, se a mãe não quer o filho ela pode parir e doar em seguida. O filho não pode ser penalizado com a pena de morte por causa de um crime cometido pelo pai biológico. Cada um é um. A mulher não vai parir o estuprador e sim outro ser humano com sua própria identidade. Vincular o feto ao estuprador e matá-lo para se livrar do criminoso é de profunda ignorância, pois a violência se duplicará para a mulher que cometa o aborto. Existem muitos tratamentos eficazes para curar esse trauma, que ocorrerá com ou sem gravidez e a maternidade pode não só dissipar o sofrimento como trazer felicidade a vida de uma ex-estuprada, pois quando o bebe nascer, a mulher sentirá por ele um amor tão forte e verdadeiro que nem vai mais se ater tanto ao estupro que foi vítima, muito menos sentir seu filho como o réu. A punição não deve ser da mulher ao seu filho, nem a si mesma, mas judicialmente ao estuprador, para que este seja preso por seu crime. Isso sim é de seu direito e a justiçará pelo ocorrido. Uma mulher que já foi estuprada não deixará de sê-lo matando seu filho, ao contrário, ela perpetuará este crime praticando outro em seu corpo.

O estupro deve ser erradicado com programas educativos de prevenção e punição exemplar aos criminosos, pensar em remediá-lo com aborto é um equivoco. Os abortos não erradicam os estupros. Em qualquer gravidez indesejada, a solução não é matar e sim doar o bebê aos casais inférteis que esperam por filhos do coração para comporem suas famílias. Também existem formas simples e baratas de evitar a gravidez, a medicina já oferece muitos recursos para isso sem por em risco a saúde da mulher e a vida do feto, ou da célula zigoto inicial dessa vida.

Rapazes, o aborto é uma covardia. Não cumpliciem com isso, nem por apoio, nem por passividade. Além do feto ser atacado e morto injustamente, creio que os os homens de caráter devem sofrer muito com o horror do aborto a seus filhos. Suponho que a impotência em salvá-los da lata de lixo lhes gerem uma trauma difícil de dissipar e/ou uma revolta muito grande em saberem que seus filhos ficaram indefesos a mercê dos carniceiros, sem que eles pudessem os defender da barbárie. Acho que se deve considerar o sofrimento dos pais que não puderam ver seus filhos respirando e crescendo ao seu lado sob a sua proteção e amizade.

A sociedade fala tanto em direitos humanos e democracia, mas com esse argumento é conivente com as aborteiras, pois antidemocraticamente, de forma bem autoritária, nem sempre o pai participa dessa decisão. Muitas vezes ele é apenas comunicado que seu filho ainda em desenvolvimento será assassinado e seus restos irão para algum lixão da cidade e numa grande crueldade cínica, as aborteiras ainda cobram aos pais que terão seus filhos covardemente assassinados, dinheiro para cometerem essa monstruosidade. Há um grande absurdo no senso comum que é a exclusão sumária do homem nas decisões sobre a vida e bem estar de seu filho quando ainda está dentro do corpo feminino. O que é uma aberração, pois o serzinho que se forma dentro do corpo da mulher só existiu porque o homem inoculou uma das duas partes que propiciou esta vida. O homem também é gerador e responsável por esta vida, nela também está seu gene, então ele tem todo o direito “democrático” de decidir por amá-la e protegê-la em seu processo de desenvolvimento intra uterino.

O incrível é que, para os homens também fica parecendo que o filho antes de sair do corpo da mulher é apenas dela, e pior: que ele é proprietária dela, de sua vida e destino, e que pode descartá-lo ao seu bel prazer, desconsiderando não só que ele é outra vida sem ser a dela, mas também que há outro envolvido na gravidez que é o pai. Assim, estes homens não denunciam o crime, deixam as aborteiras livres sem responder na justiça sobre o que fizeram aos filhos deles, obviamente elas serão reincidentes pela impunidade, pela permissividade, pela passividade destes homens.

Claro que nem todos os homens passaram pelo horror de ter seus filhos assassinados no ventre, mas isso não significa que estão livres dessa desgraça pois, como a mentalidade vigente as mulheres podem se quiserem excluir o homem nesta decisão e os homens por não ter consciência de seu poder masculino neste processo acabam por permitirem sua exclusão. O que é uma temeridade, porque seus filhos dentro do ventre de mulheres “moderninhas” correm grande perigo, pois além delas se acharem livres para matá-los, e no caso de não abortá-los, podem causar inúmeras sequelas aos filhos por DST's, que elas conseguem se contaminar na rotatividade do sexo casual, uso de drogas licitas e ilícitas e outras irresponsabilidades com o próprio corpo.

Também ocorre que os próprios pais cumpliciem para o assassinato de seus filhos, não só por passividade diante da decisão das aborteiras, mas até incentivando esse horror. Muitos homens, ou melhor: “omens”, fazem sexo de forma irresponsável e quando engravidam as mulheres, se põem a persuadi-las ao aborto, e o pior é que muitos conseguem. A grande existência de mulheres débeis que obedecem a cafajestes e/ou que se identificam com a nefastidão deles.

Rapazes, imagino que vocês compreenderam que não devem querer o aborto em suas vidas como homens, mas devo preveni-los que só escaparão do terrível destino de tornarem-se aborteiros indiretamente, se ficarem bem centrados e vigilantes sempre que tiverem relações sexuais. Em seus contatos com as garotas, é imprescindível que não se esqueçam das consequências que podem criar nisso. Os cuidados básicos e mais a pleno autocontrole se faz necessário para se protegerem desta abominável pratica que é o aborto.

Senhores e rapazinhos, contando com a sensatez e boa índole masculina para evitarmos a pratica do aborto em nossa sociedade, subscrevo-me,


Cordialmente,

Símia Zen.


========

Notas:

1 - Nos Estados Unidos, o presidente Obama defendeu essa idéia semelhante no ano passado. Uma das retóricas feministas prediletas é justificar algo se baseando no que é feito no exterior.

2- O assunto foi abordado em diversos jornais como este.

3- Para saberem mais sobre essas organizações leiam os artigos Aborto: a quem interessa? e Perguntas e Respostas sobre a Norma Técnica do Aborto.

4 - Verem este artigo interessante sobre o assunto AAVR.

Sobre o que é o politicamente correto leiam:

1 - O que é o politicamente correto?


Posted 2nd November 2010 by Shâmtia Ayômide

Labels: Simia Zen Política e Filosofia

Fonte: Texto originalmente publicado no site Reflexões Masculinas - Revista Online sobre o Homem e a Masculinidade. http://reflexoes-masculinas.blogspot.com.br/2010/11/nao-ao-aborto.html

===========================================SZ

2 comentários:

Anônimo

Ótimo texto!!!
Deve ser repassado.

Símia Zen

Obrigada pelo incentivo, anonimo!

Postar um comentário

Retornar ao topo