Os presidiários precisam de uma chance de recuperação - Por Símia Zen.



Senhores, 

De muitas e muitas coisas que me comovem olhando a vida dos homens, como por exemplo, suas sagas, venturas, lutas e vitórias coletivas e individuais, eu também me compadeço dos destinos dos desgraçados desprovidos de virtudes e boa sorte como é o caso dos homens que por inúmeros motivos chegaram ao um ponto tão baixo e vil de seus lados obscuros que caíram na vida do crime. Não que eu os abone de seus erros e nem que desaprove o peso braço da justiça em puni-los, mas não posso evitar a tristeza que sinto ao ver tanta humilhação desses fracassos humanos nos noticiários na TV quando são caçados e presos, realmente não há como não ver a tragédia gargalhando na vida desses homens decaídos, e pensar que um dia foram crianças inocentes, tanto quanto os demais homens, com seus sonhos e sorrisos ingênuos...

O estado de animalidade da vida dos criminosos em presídios só poderia ser adjetivado como o inferno... no seu mais puro sentido simbólico de nefastidão. Creio que se eles já não têm discernimento e amor a vida ainda soltos e num presidio são extirpados de toda humanidade que poderiam ainda ter em forma latente, ali é perdida qualquer possibilidade de retornarem ao bem se ser humano. Bom... Exceto por alguns poucos homens desventurados que por grande sorte e força interior conseguem regenerar sua humanidade mesmo neste reduto de horror e misérias inomináveis, alcançando assim a vitória da recuperação de seus destinos e ânimo interior. A estes arruinados que aprendem com seus erros, com seus infortúnios, com o sofrimentos e se corrigem, transformando-se em pessoas possíveis de conviver em sociedade é que dedico esta escrita.

Sabemos de todo horror que acontece no dia a dia nos presídios brasileiros, sabemos de todas as torturas físicas, mentais e emocionais que estes homens degradados praticam uns aos outros, à revelia dos carcereiros, e assim passam todos os dias nas prisões brasileiras, dias que são anos, anos que são séculos, séculos de monstruosidade de ainda maior deformação e aniquilamento de suas almas derrotadas. Sabemos por que assistimos na TV, sentados em nossas poltronas na hora do jantar e, umas pessoas se horrorizam, umas se agradam de assistir ao castigo, umas se compadecem, umas não sentem nada...

De fato o mal que estas vis criaturas causaram as pessoas de bem e podem voltar a causar, se tiverem oportunidade, não poderia mesmo ser perdoado, obviamente não defendo o mal e nem os maus, também como toda cidadã com um mínimo de senso de justiça concordo que todos os criminosos devam ser afastados de nosso convívio, nos ameaçam, são ruins, são predadores e perniciosos, mas... Creio que há coisas que devemos considerar dentro desse quadro de decadência humana e social, não para promover permissividade ao mau uso da liberdade e desrespeito as nossas leis e sim para sermos mais justos e humanos, e por efeito, para que minoremos tanta barbárie em nossa sociedade. Pela razão óbvia do amor a Vida, pela justiça não sou favorável a pena de morte e nem a ideia de presídios apenas punitivos, mas sim para a devida correção, porque dentro da população carcerária não há apenas criminosos vis e nefastos, ainda assim, vidas humanas, mas há também os que estão presos por erros de justiça...

Há os homens que perderam sua dignidade por falta de alternativa, como é o caso do castigo sem investigação cuidadosa onde homens são sentenciados ao cárcere por engano de nomes homônimos e por testemunhos que cometem perjúrios e/ou por outras situações de prisão sem julgamentos decentes e até com jurados sob pressão de ameaças, ou de mendigos por furtos de comida ou agasalho, por exemplo. Por isso também que não se deve acreditar num sistema de punição por pena de morte, creio que mesmo que conseguíssemos organizar melhor nosso sistema judiciário e diminuir a corrupção no país, ainda assim, tais enganos poderiam ser cometidos e executaríamos inocentes. Ademais, a pena de morte não garante o fim do crime nem da existência de criminosos, pois se fosse assim, os países que executam a pena de morte há muito tempo não teriam mais índices de criminalidade tão alarmantes como os nossos.

Acredito é num sistema carcerário de correção verdadeiramente, um que valesse a recuperação do criminoso e não a intensificação de seu mau caráter e fraqueza. Aliás, sob um sistema punitivo em prisões tão nefastas como temos no Brasil, é fácil piorar tais criaturas tornando autores de pequenos delitos em bestas humanas. O que não interessa a ninguém...

Mas que fique claro que quando falo de criminosos passiveis de correção e recuperação, não estou falando de autores ou mandantes de crimes monstruosos como assassinato premeditado e estupro. Para estes, o afastamento perpétuo é o mais seguro para a sociedade em geral. Estou falando dos inúmeros casos onde o crime é contra o patrimônio ou por agressões a pessoas físicas sem grandes danos e ao pudor público, por exemplo.

Senhores,  fiquei sabendo que em outros países o sistema penitenciário é privado e fiquei pensando entre minhas agulhas e bastidor, se aqui no Brasil se tem o costume de imitar um sem numero de coisas que nem tem a ver com nossas reais necessidades, porque não imitar essa boa solução no sistema carcerário e privatizarmos os todos os presídios também? Afinal, não tem graça nenhuma pagarmos impostos altíssimos para sustentarmos os gastos com os cárceres nacionais que não recuperam efetivamente os criminosos e até os pioram, sobretudo quando temos tantas outras coisas a investir para a boa qualidade de vida da população brasileira em plano geral.

Creio que compradores de presídios é o que não iria faltar, considerando o fato de que presídios rendem muito lucro com tanta mão de obra disponível e seus proprietários poderiam até ficar isentos de impostos, pois não estaríamos ganhando, mas nem gastando verba de nossos cofres públicos. Claro que tais “negócios” teriam que ser bem supervisionados para não haver desrespeito aos direitos humanos, e creio que o gasto com a supervisão e monitoramento estatal para a recuperação dos criminosos poderia render mais benefícios que prejuízos a nós. Presídios que têm como meta o lucro também têm a produção e nada mais positivo que o trabalho honesto para começar um processo de reeducação de criminosos e assim experimentarem o estilo de vida do cidadão comum para conhecerem esta forma de dignificação de seu prato de comida, suas vestes, seu teto, seus estudos, seus advogados de defesa, sua correção e principalmente o sustento de sua prole.

Creio que para um homem decaído, a chance de gerar recursos com trabalho honesto dentro da prisão com seu próprio suor do rosto, como acontece nos presídios privados, gera também um novo ânimo para sua própria evolução, já que lhe traria o bem de se sentir com mérito para ser chamado de ser humano uma outra vez na vida. Ninguém nasce criminoso, em alguma fase da vida tais criaturas foram humanas, mesmo que tenham sido apenas na mais tenra infância. Lembrando: O ócio improdutivo para o homem e para a mulher promove todo tipo de doença na alma, sobretudo àqueles que já são propensos a isso, daí não se pode esperar a correção de criminosos onde eles não estejam ocupados com o trabalho, esportes e estudos laicos e/ou religiosos.

Bom... Concluindo esta carta peço os senhores que reflitam para si sobre a VIDA dos presidiários e que seus pensamentos se reflitam em suas ações pelas vias legais em que os bons homens podem minorar o caos social que nos oprime sem se tornarem criminosos também.

Respeitosamente,

Símia Zen.


Posted 30th August 2011 by Abdall
Labels: Simia Zen Política e Filosofia
===========
Fonte: Texto originalmente publicado no site Reflexões Masculinas - Revista Online sobre o Homem e a Masculinidade  - http://reflexoes-masculinas.blogspot.com.br/2011/08/os-presidiarios-precisam-de-uma-chance.html
==================================================SZ.

2 comentários:

Leandro

Tá, e as vítimas destes bandidos? CadÊ a compaixão pela vítimas? Muito mimimi politicamente correto. Sabemos que os presidiários se matam entre si na cadeia. Caras que cometem crimes muito pesados ou psicopatas vigaristas não tem chances de recuperação...

Abigail

Pois é, Simia Zen, eu já ia comentar que feministas e militantes do movimento negro não precisam dizer que não defendem crimes ou criminosos, mesmo quando colocam um latrocida negro de 17 anos e 11 anos como vítima da exclusão social ou ignoram casos de mulheres que matam homens e ainda tem gente rindo no Facebook. Aí, vejo o comentário do Leandro. E meu caro Leandro, o texto já diz que pena de morte não acabou com o crime em lugar nenhum. Uma coisa é querer justiça na punição de crimes, outra é você pregar um linchamento pequeno-burguês que pode voltar pra sua cara, rapaz.
Mas, fofa, quanto à privatização dos presídios, isso é a mania dos universitários criados em condomínios de pregar que só a iniciativa privada presta. Primeiro, trabalhos forçados são inconstitucionais. Segundo, já existe trabalho em presídio, embora não seja regra geral. Terceiro, pra você ter ideia do que seria presídios privados no Brasil, assista um filme do Robocop.
Mas a discussão foi boa. Beijos.

Postar um comentário

Retornar ao topo